Tamanho do texto:

Diminuir texto Aumentar texto

Notícia

Guilherme Artigas 26/4/2011

Parabéns à APP, 64 anos de lutas, resistências e conquistas!

Nova era, novo século e novos rumos. Superar os períodos mais difíceis leva a um processo histórico mais maduro, sem arrefecer

       

                                                        Marlei Fernandes de Carvalho

                                                       Presidenta da APP-Sindicato

 

"Há os que já desertaram da esperança em nome de uma crítica tão resolvida

e fechada nos seus termos que se torna sectária, na acepção rigorosa

do termo, de separação artificial do que se decide na história.

Há os que ainda cultivam a esperança como se fosse um jardim de ilusões,

imune às contradições e, por isso,

 incapaz de dialogar democraticamente com a crítica."

 

(Miguel Rosseto em 'A Esperança Crítica', de Juarez Guimarães)

 

Ao começar a leitura desse livro, buscando em minha esperança militante objetivos críticos para o dia-a-dia, não tenho como não lembrar e colocar a APP-Sindicato (porque formada nesse conteúdo) no centro desse debate. Talvez o título fosse: A  APP-Sindicato na era da maturidade.

 

A APP completa 64 anos, e, ao olharmos sua história mais longínqua até o período mais recente e às perspectivas futuras, nos deparamos com esse período de maturidade.

 

De 1947 até hoje, precisaríamos de muitas páginas. A certeza é única: um sindicato de muita luta, de muita construção coletiva, que enfrenta os desafios, que mantém viva a esperança de uma Escola Pública de Qualidade, Laica, Universal para todos e todas.

 

Uma Associação que enfrentou a ditadura militar do jeito que podia, com greves na década de 1970 com caráter de congresso. "Todos saíam da escola para uma reunião".

 

A luta pelos direitos profissionais sempre se misturou à luta social, às mudanças sociais, às resistências sociais: a APP nasce nesse marco, no espírito do pós-guerra.

 

Da democratização do país à organização sindical, à organização solidária da Central Única dos Trabalhadores(as). Da luta pela universalidade da educação ao currículo histórico-crítico.

 

Da luta cotidiana da sala de aula, da cozinha, do pátio, da secretaria à luta nas ruas: as grandes greves, caminhadas, mobilizações constantes, ocupações, marchas longas, escolas na rua. Muita, muita criatividade, responsabilidade e rebeldia, compromisso!

 

Os cavalos e bombas machucaram o corpo e a alma. O período neoliberal machucou a vida e não fosse tamanha resistência, teria destruído o direito à Educação. Tamanha dificuldade nos uniu ainda mais: professores e funcionários num único sindicato. A APP passa, em 1998, a chamar-se APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação.

 

Nova era, novo século e novos rumos. Superar os períodos mais difíceis leva a um processo histórico mais maduro, sem arrefecer.

 

A recomposição da carreira, dos salários, da luta sindical. A retomada da formação político-sindical, a construção das conferências e congressos; os materiais constantes produzidos; a nova mídia, as redes sociais, a reestruturação material do sindicato refletem a nova etapa. Há muito ainda para se fazer.

 

A escola tem muitas dificuldades: superlotação das salas, falta de condições de trabalho, materiais precários. A indisciplina e pressão constante estão se agravando.  A ela está associada a "burocracia pedagógica". Precisamos debater um outro modelo de escola e de ensinar. A vida dos educadores e educadoras na escola, e fora dela, não é fácil.

 

Mesmo assim, ainda ouvimos: "E a APP, não vai fazer nada?", cobrança permanente, muitas vezes desconexa; às vezes determinadas.

 

A epígrafe, da necessária maturidade na construção política, sem perder o horizonte de transformação social, nos coloca em sintonia e debate constante com a categoria. A sintonia com a categoria é condição permanente do olhar crítico para consolidação da Escola Pública que lutamos e desejamos e à transformação democrática e socialista necessárias.

 

:: Clique aqui para ler sobre o projeto: "Livro de Histórias e Memórias da APP-Sindicato"

Fone: (41) 3026-9822 / Fax: (41) 3222-5261

APP - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO PARANÁ

Avenida Iguaçu, 880 - CEP 80.230-020 - Rebouças - Curitiba/PR - Brasil