Tamanho do texto:

Diminuir texto Aumentar texto

Notícia

Foto: Andréa Rosendo
Secretária da APP, Lirani (à esquerda) demonstra importância da formação dos educadores Galeria de imagens Aumentar foto
26/11/2010

Arns fala com educadores sobre gênero e diversidade sexual

O desafio da educação em relação às questões referentes às temáticas gênero e diversidade sexual nas escolas fez parte de uma reunião com o vice-governador eleito, e futuro secretário de Educação, Flávio Arns hoje (26) à tarde. No hotel Granvile, em Curitiba, integrantes do Fórum Paranaense de Gênero e Diversidade Sexual, de entidades ligadas ao combate ao preconceito de gênero e por orientação sexual e ainda da APP-Sindicato pediram que Arns mantivesse os programas já implementados e que tratam diretamente destes assuntos.

 

De acordo com a representante do Fórum Paranaense de Gênero e Diversidade Sexual, Léo Ribas, nos últimos anos o Paraná avançou muito na educação das relações de gênero e diversidade sexual. "Conseguimos que a Secretaria de Estado da Educação (Seed) estabelecesse a regra para o "nome social" do aluno (a) travesti ou transexual, maior de 18 anos, nos documentos escolares internos das escolas (Livro Registro de Classe, Edital de Nota e Boletim Escolar) em todos os estabelecimentos do Sistema Estadual de Ensino do Paraná e também tivemos a formação de professores e funcionários de escolas nestes 22 meses de existência do Núcleo de Gênero e Diversidade Sexual, que está ligado ao Departamento da Diversidade da Seed (NGDS/ Dedi /Seed). Por isso queremos que esses temas sejam mantidos no próximo governo", enfatizou.

 

Segundo Léo, mais de 1400 professores passaram pela política pública de formação continuada para professores e professoras no "Curso Gênero e Diversidade na Escola", uma iniciativa do NGDS com apoio da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres (SPM), da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD-MEC), que é realizado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa(UEPG).  Léo também destacou dados que mostram a abrangência das ações daquele núcleo. "Mais de 100 professores foram formados dentro do Programa Saúde na Escola (PSE), que orienta estudantes da rede pública de Educação Básica através de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde. Também fizemos dentro do NGDS mais de 500 oficinas temáticas e alcançamos - com todas essas atividades - o envolvimento de mais de 20 mil pessoas neste processo".

 

A secretária de Gênero e Igualdade Racial da APP-Sindicato, Lirani Maria Franco, falou sobre a importância de dar continuidade às ações governamentais que trabalham com esses temas. "Entendemos que nesse período de transição podemos estabelecer um diálogo e debatermos com o novo governo as nossas propostas. A APP desenvolve várias atividades em conjunto com o NGDS e, por isso, gostaríamos que o governo ouvisse o movimento social organizado. Queremos mostrar o quanto avançamos, mas queremos que as políticas públicas se transformem em políticas de estado, para garantir a continuidade desse trabalho que já está sendo feito. Contribuímos neste governo e podemos continuar a contribuir para acabar com preconceitos e discriminações voltados para a questão de gênero e diversidade sexual".

 

Flavio Arns falou que um dos maiores desafios na área de educação é desenvolver políticas públicas que façam inclusão, que promovam a cidadania, que garantam os direitos humanos e que façam a negação e repressão da violência. Por isso assumiu o compromisso em dar continuidade aos projetos que garantam a aplicação das mesmas. "Temos que aproveitar ao máximo a caminhada feita e ao mesmo tempo avançar, buscar novas formas de conduzir o que já foi feito. Vamos fazer isso. Se vai dar certo ou não vai depender da nossa capacidade de articulação, mas o nosso grande objetivo é fazer políticas de inclusão, de promoção da cidadania e de garantia de direitos humanos".

 

Além da APP-Sindicato e do NGDS, a reunião contou com a presença de lideranças da Liga Brasileiras de Lésbicas, do Fórum Permanente de Educação e Diversidade Etnicorracial do Paraná (Fpeder), da vereadora professora Josete, do mandato do deputado federal Dr. Rosinha e, dentre outros, de representantes de universidades, que falaram sobre os avanços no campo das pesquisas e da formação para aqueles que atuam diretamente com a temática.

Fone: (41) 3026-9822 / Fax: (41) 3222-5261

APP - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO PARANÁ

Avenida Iguaçu, 880 - CEP 80.230-020 - Rebouças - Curitiba/PR - Brasil